Vogue Paris e ONU Femmes – arte e causa social com mulheres inspiradoras


A Monnaie de Paris recebe até o dia 27 de fevereiro de 2019, a exposição “Artistes à la Une, Togeth’her”®, organizada para apoiar programas da ONU Femmes, em prol da igualmente dos sexos e autonomia da mulher.

Artistas de várias parte do mundo, homens e mulheres, foram convidados à imaginar uma capa (virgem) da revista Vogue Paris, com o retrato de uma mulher icônica e inspiradora aos olhos deles.

As 31 mulheres excepcionais representadas, cada uma em sua área de atuação, quebraram cόdigos de sua época e transformaram com audácia, estilo e criatividade nosso modo de ver o mundo.

Madonna na exposição Vogue

Michelle Obama afro-americana

Michelle Obama

Apόs seus estudos na universidade Harvard e uma brilhante carreira de advogada, Michelle Obama torna-se a primeira Dama Afro-americana dos Estados Unidos. Durante os mandatos de seu marido, ela apoiou inίmeras causas, como o trabalho na Cruz-Vermelha para as vίtimas do seίsmo e do tsunami no Haiti e pela luta contra a obesidade.

Paris Belle époque

Joséphine Baker

Joséphine Baker viveu uma infância dolorosa no Missouri, marcada pela segregação racial, ponto de partida de seu combate da vida inteira. Parisiense desde 1925, ela alcança a celebridade graças ao espetáculo La Revue Nègre no qual ela dança em ritmo de charleston. Divorciada quatro vezes, bissexual e militante, ela torna-se uma figura da resistência durante a ocupação nazista. Joséphine vai continuar engajada, notadamente, ao lado do Movimento pelos direitos cίvicos de Martin Luther King.

Simone de Beauvoir

Simone de Beauvoir é uma intelectual francesa e figura importante do feminismo do século XX. Sua obra O Segundo Sexo (1949) é o ponto de partida da análise de gênero como construção social, distinta do sexo. Beauvoir redige o Manisfesto dos 343 (1971), a favor da legalização do aborto.

 

Exposição na Casa da Moeda Paris

Artista francesa na capa da Vogue

arte contemporânea Paris

Exposições de Paris 2019

mulheres negras na Vogue Paris

exposição une Vougue e ONU Paris

Jane Fonda

Atriz hollywoodiana que conheceu o estrelato por seu papel em Barbarella (1968), Jane Fonda é também conhecida pelas causas que defende : a dos direitos da mulher ou ainda a luta pela proteção do meio ambiente. A partir dos anos 1970, ela milita pelo fim dos bombardeios americanos no Vietnam. Naquele perίodo ela se torna uma estrela da ginástica aerόbica para financiar as causas que defendia.

 

As obras serão expostas na Monnaie de Paris e vendidas pela casa de leilões Christie’s com fundos revertidos para o Comité ONU Femmes France. Um dos projetos do Comité no México ajuda mulheres à desenvolverem iniciativas econômicas inovadoras e efetivas,  apoiando mulheres, famίlias e comunidades à enfrentarem as consequências de catástrofes naturais como seίsmos.

“Artistes à la Une, Togeth’her”®

Até 27 de fevereiro de 2019Monnaie de Paris – 11, quai de Conti, 75006 PARIS


Monnaie de Paris – patrimônio histόrico e contemporaneidade

A Monnaie de Paris (Casa da Moeda de Paris) é o estabelecimento público da República Francesa encarregado de cunhar a moeda. Criada em 864, no reinado de Carlos II da França (O Calvo) é a instituição francesa mais antiga em funcionamento. Os atéliês de fabricação da moeda foram transferidos para Pessac, arredores de Bordeaux. O endereço de Paris funciona apenas para a produção artesanal da moeda e abre como museu, onde 170.000 objetos de suas coleções podem ser admirados: moedas, medalhas, tesouros, utensίlios e máquinas antigas, documentos de arquivo, pinturas e esculturas. O edifίcio cuja vocação industrial de origem foi conservada é a primeira grande construção em Paris do reinando de Luίs XV.

A Casa da Moeda de Paris

 

A Monnaie de Paris fica em Saint Germais des Près, perto do Museu do Louvre.

Para completar a pausa cultural em Saint Germain, conheça dois de seus tradicionais cafés. Nesse link.

COMPARTILHAR

POSTS RELACIONADOS

o famoso vestido Mondrian de Yves Saint Laurent
Museu Yves Saint Laurent : « a revolução Mondrian »

O Museu Yves Saint Laurent exibe atualmente a coleção outono-inverno 1965, que marcou a histόria da moda. Batizada « Revolucionária », ela propõe um estilo moderno e de vanguarda apoiada principalmente em uma série de vestidos, inspirados da obra do pintor Piet Mondrian (1872-1944). Para entender a ligação entre Mondrian e essa célebre coleção, começo abordando…

LER MAIS
Exposição impressionismo Fondatuon Louis Vuitton
Impressionismo na Fondation Louis Vuitton

Para o primeiro semestre de 2019, a Fondation Louis Vuitton reúne uma coleção única de obras de artistas impressionistas, que pertenceram ao colecionador Samuel Courtauld, grande apreciador da pintura francesa, que dedicou parte de sua fortuna para adquirir algumas das mais belas pinturas impressionistas e pόs-impressionistas. A coleção excepcional conta com obras-primas de Manet, Van…

LER MAIS
Napoleao Bonaparte estrategista
Palácio dos Inválidos: os segredos de estratégia de Napoleão

Arcole, Ulm, Austerliz, Iéna, Friedland, Wagram… As batalhas vencidas por Napoleão I foram inúmeras. A exposição « Napoléon Stratège » no museu da Artilharia, no Palácio dos Inválidos, explora uma faceta de Napoleão ainda pouco conhecida : a de chefe de guerra.  A exposição objetiva explicar o que fez desse general e imperador, uma referência à frente de…

LER MAIS
O icônicos modelos desenhados pelo costureiro Yves Saint Laurent
Um museu para Yves Saint Laurent

O Museu Yves Saint Laurent é a realização do sonho e iniciativa de Pierre Bergé, companheiro de Yves Saint Laurent (1936-2008)  durante doze anos. Em 1962,  Yves Saint Laurent cria, ao lado de Pierre Bergé, sua prόpria maison, situada no n° 30 bis, rue Spontini, no 16° distrito de Paris. Com o sucesso imediato do…

LER MAIS

COMENTÁRIOS

instagram | @beminparis