Visitando as históricas Caves Moët & Chandon


Moet-et-Chandon-sede-1

Sede da Moët et Chandon

 

Considerada a mais famosa maison de Champanhe, a Moët & Chandon tem sede em Épernay, conhecida como  a « capital do Champanhe ». Épernay tem cerca de 25.000 habitantes e recebe negociantes de toda parte do mundo voltados para o comércio do champanhe.  Ao lado de Reims, Épernay é uma das principais cidades da região ChampanheArdenha, no nordeste da França, a cerca de 140 quilômetros a leste de Paris.

Criada em 1743, a Möet & Chandon é a mais antiga maison de Champanhe estabelecida na região. A trajetória da marca é ligada a uma dinastia de homens apaixonados pelo valor do trabalho e da excelência. A maison foi fundada por Claude Moët, que iniciou a atividade como negociante de vinhos. A marca alcança definitivamente a celebridade, com seu herdeiro, Claude-Louis-Nicolas.

A partir de 1792, Jean-Remy Moët, neto do fundador, percorre o mundo em busca dos primeiros mercados no exterior,  reforçando o espírito conquistador da empresa, característica ímpar dos descendentes de Claude Moët.

Jean-Remy Moët cede lugar ao seu filho Victor e ao seu genro, Pierre-Gabriel Chandon, que consolidam desde então a promessa de uma aliança de prestígio internacional: com a união dos dois ‘sobremenomes’, nasce a Moët & Chandon, que se posiciona de geração em geração como símbolo de qualidade e de luxo.

A Moët & Chandon está instalada na antiga residência da família, onde foram recebidos convidados ilustres como o imperador Napoleão I e a imperatriz Josefina.

Moet-et-Chandon-salon

Moet-&-Chandon-sede1

Moet-et-Chandon-sede

Extensão da antiga residência da familia Moët & Chandon, inspirada no Petit Trianon de Versalhes

 

Montanha de Reims, coração do vinhedo champenois

A Moët & Chandon é proprietária de parcelas de excelência, que gozam de um clima de influências oceânicas e continentais sobre as encostas de colinas situadas nas principais regiões de Champanhe. Parte de sua produção fica na Montanha de Reims, para a uva Pinot Noir, que é uma das três castas utilizadas em sua produção, além das castas Pinot Menier e Chardonnay.

A Montanha de Reims fica entre as cidades de Reims e Épernay e representa o coração do vinhedo champenois, onde é imprescíndivel parar para contemplar a excepcional beleza dos parreirais, a perder de vista. Nesse lugar nos damos conta de estar pisando numa região única no mundo.

Montanha-de-Reims

Montanha-de-Reims-uvas

Champanhe-trator

Edis Lima Guia de Turismo na região Champanhe

Durante um de nossos passeios pela Champanhe como Guia e intérprete – Edis Lima

 

Como funciona a visita às Caves da Moët & Chandon ?

A Moët & Chandon possui 28 quilômetros de caves que formam um verdadeiro labirinto e são as maiores da região Champanhe. Acompanhado por um guia da própria maison por um percurso  de 1 quilômetro dessas históricas caves, o visitante conhece a trajetória da Moët & Chandon, aspectos da produção vitícola e em especial, o processo de fabricação do Champanhe. As caves são realmente impressionantes, os túneis onde estão armazenadas milhões de garrafas esperando a conclusão do processo de fabricação foram cavados ainda no século XVIII.

A visita tem duração de 1 hora e geralmente é  realizada em francês ou em inglês. Não é sempre que a cave dispõe de atendentes de língua portuguesa.  Aberta de março a novembro e fechada em datas especificas, a Moët & Chandon é uma das caves que fecham durante alguns meses do inverno. De todo modo, o ideal é checar a disponibilidade da visita com certa antecedência.

Cada visita de cave é concluída pelo tão esperado momento da degustação, onde o visitante pode esclarecer suas dúvidas com um sommelier.

DEgustação de Champanhe na Moët & Chandon

As caves têm temperatura estável entre 10 e 12 graus e humidade constante,  oferecendo condições perfeitas para a maturação dos vinhos mais requintados. Para o visitante (em especial, o brasileiro, acostumado a altas temperaturas !!) é recomendável estar bem agasalhado, pois a sensação térmica no subsolo é de frio.

As historicas caves da Moët & Chandon

Moet-et-Chandon-barril

A sede da Moët & Chandon  também conta com uma boutique completa onde podem ser encontrados seus champanhes tradicionais e vintage, além de champanhes de produção limitada. A linha de acessórios é bastante diversificada.

Loja da Moët & Chandon em Epernay

Moet-et-Chandon-rosé

 

Este ano a Moët & Chandon abrirá para visitas até o dia 31/12/2016 e estará fechada de 1° a 31 de janeiro de 2017.

A visita da Moët é Chandon e de outras caves prestigiadas estão no nosso passeio « Rota do Champanhe ». Saiba detalhes no link.

 

 

COMPARTILHAR

POSTS RELACIONADOS

Madame Clicquot : a grande dama da Champanhe

Na região Champanhe, uma das maisons mais prestigiadas é a Veuve Clicquot, em francês, a « Viúva Clicquot ». O famoso champanhe da inconfundίvel etiqueta amarela, tem por trás de seu prestίgio, uma grande dama, que transformou o negόcio iniciado pelo marido em uma das marcas mais importantes do mundo. Pioneira : com apenas 27 anos, Barbe Clicquot…

LER MAIS
Hautvillers : o coração do vinhedo da Champanhe

A Champagne compreende pouco mais de 33,5 mil hectares divididos entre 15 mil viticultores. São 349 casas, 43 cooperativas e 4.651 produtores com produção anual estimada de 386 milhões de garrafas. Visitar a Champanhe é ter a certeza de estar descobrindo uma região excepcional que atrai visitantes e negociantes de todo o mundo. Dentre as…

LER MAIS
Avenue de Champagne, « a avenida mais cara do mundo »

Inscrita no Patrimônio mundial da humanidade, a Avenue de Champagne, em Epernay, no coração da região Champagne-Ardenne sedia algumas das mais prestigiadas maisons de Champanhe, o que lhe vale o tίtulo de « avenida mais cara do mundo » ou ainda « Champs-Elysées do Champanhe ». Desde o final de século XVII, um importante labirinto de caves  subterrâneas…

LER MAIS
Champanhe : uma viagem pelos sentidos

  Rosé, blanc de blancs ou blanc de noirs, qual o seu estilo ? O champagne obtém sua elegância e, provalvemente sua cor, da mistura de três castas: Chardonnay (uva branca), Pinot noir e Pinot Meunier (uvas tintas). Conhecer o champagne é mergulhar em um universo de vinhos espumantes, mas sobretudo, vinhos de harmonia entre…

LER MAIS

COMENTÁRIOS

instagram | @beminparis