Caillebotte no Museu dos Impressionistas


 

Caillebotte, pintor e jardineiro

Caillebotte-autorretrato

Gustave Caillebotte – Autorretrato (1891 -1892)

Nascido em 1848 em Paris, Caillebotte é célebre pela evocação dos bairros Haussmanianos, mas ele compartilhou sua vida – e sua obra – entre a capital e suas áreas de lazer. É no campo, na propriedade da família situada em Yerres, no sudeste de Paris, que ele adquire o gosto pela natureza e pinta seus primeiros estudos ao ar livre. Mais tarde, ele adquire a propriedade de Petit Gennevilliers localizada nas margens do Sena, na frente de Argenteuil, onde Monet trabalhou antes dele. Quando ela se torna sua residência principal em 1887, Caillebotte a amplia, faz construir um atelier, uma estufa e cria um jardim com uma grande variedade de flores.

A Paris de Haussmann, um universo mineral

Gustave Caillebotte frequentou o atelier do retratista Léon Bonnat em Paris antes de ser admitido na Escola de Belas Artes e, em seguida, viajar para a Itália em 1872. Precedidas por um conjunto de desenhos e estudos de pinturas,  suas primeiras primeiras composições, Les peintres en bâtiment (os pintores de obras – 1877, coleção particular) ou Raboteurs de parquet (Os raspadores de assoalho – 1875, Museu d’Orsay), mostra sua sólida formação artística. A escolha de Caillebotte em descrever o universo do trabalhador, sem a miserabilidade, já o situa entre os proponentes da Nova Pintura, unidos para representar a vida moderna.

Caillebotte-pintores-de-obras

Les peintres en bâtiment (os pintores de obras – 1877, coleção particular)

 

Caillebotte-raspadores-de-assoalho

Raboteurs de parquet (Os raspadores de assoalho – 1875, Museu d’Orsay)

 

O artista assistiu de perto as transformações de Paris durante o Segundo Império. Nascido na rue du Faubourg Saint-Denis, uma artéria no coração das grandes obras, ele não tem nem vinte anos de idade quando sua família se muda para a rua Miromesnil entre a Opéra e a Place de l’Etoile, no distrito onde surgem os mais elegantes edifícios da Paris Haussmaniana. Suas primeiras obras retratam a nova cidade e seus habitantes, uma sociedade em plena evolução, onde trabalhadores vestidos de aventais se cruzam com grandes burgueses usando cartolas. Em 1875, Caillebotte coleciona pinturas de artistas impressionistas e organiza exposições. No entanto, ao contrário de seus amigos, quando pinta Paris, ele não evoca nem as margens do Sena, nem as avenidas movimentadas. Ele descreve uma nova cidade, suave, muitas vezes vista do alto. Uma harmonia de cinza domina estas obras onde apenas as folhagens das árvores delgadas trazem um toque de cor.

 

Caillebotte-balcao-haussmann

 

O lazer em Yerres, no sudeste de Paris, as margens do rio Sena e paisagens da Normandia estão muito presentes na obra de Caillebotte.

 

Caillebotte-pintura-4

Caillebotte-pintura-5

Caillebotte-pintura-2

Caillebotte-pintura1

Caillebotte-pintura-6

Caillebotte-pintura-3

 

O Museu dos Impressionistas oferece, ao lado de suas exposições temporárias, uma exibição articulada em torno da influência da arte de Claude Monet, sobre seus contemporâneos e as gerações que se seguiram.

Esta coleção presta homenagem a uma das maiores figuras da história da arte francesa enfatizando o seu impacto na França e no estrangeiro, de Sisley à colônia de artistas americanos em Giverny, de Maurice Denis ao pintor japonês Hiramatsu Reiji.

A visita do Museu dos Impressionistas pode complementar a visita da Casa e os Jardins de Monet, que ficam na mesma rua do museu, em Giverny (post no Blog, nesse link).

A exposição Caillebotte, pintor e jardineiro fica no Museu do Impressionistas até o dia 3 de julho de 2016. Quem perder essa exposição excepcional que reúne obras-primas vindas de coleções privadas diversas, pode apreciar Caillebotte, em Paris,  no Museu d’Orsay e no Museu Marmottan-Monet (post no Blog, nesse link).

 

 

COMPARTILHAR

POSTS RELACIONADOS

Jardins de Monet
Casa e Jardins de Monet em Giverny – temporada 2019

Uma das perguntas mais frequentes que recebo nas redes sociais da @beminparis é sobre o perίodo de visitação anual dos Jardins de Monet. Todo ano, a casa e os jardins de Monet, em Giverny, fecham durante o inverno e reabrem na primavera, isso porque as flores não resistem ao frio. Giverny fica a uma hora…

LER MAIS
Jardins de Monet
Casa e Jardins de Monet em Giverny : temporada 2018

Quando reabrem os Jardins de Monet em Giverny ? é uma das perguntas que mais tenho recebido no Instagram @beminparis. Mesmo tendo se encantado com Paris coberta de neve, quem visitou Paris nesse inverno estranhou o frio rigoroso e o vento gelado. Felizmente, as temperaturas já estão mais amenas e os dias iluminados e todos já…

LER MAIS
Nos passos de Van Gogh em Auvers-sur-Oise

A trinta quilômetros de Paris, Auvers-sur-Oise faz parte dos vilarejos a serem descobertos nos arredores de Paris, em especial, pelos admiradores de Van Gogh. Apreciadores da obra de Van Gogh vêm do mundo inteiro conhecer o vilarejo onde o artista viveu seus últimos dias. O vilarejo se estende por 7 quilômetros e é um verdadeiro…

LER MAIS
Vale a pena visitar os Jardins de Monet no outono ?

As cores do outono nos Jardins de Monet A temporada de visitas nos Jardins de Monet vai de abril até o final de outubro, inίcio de novembro. A partir de novembro a Fondation Claude Monet fecha durante o perίodo de inverno, ficando suspensas visitas da Casa e dos Jardins de Monet. Muitas pessoas têm me…

LER MAIS

COMENTÁRIOS

instagram | @beminparis

This error message is only visible to WordPress admins

Error: API requests are being delayed for this account. New posts will not be retrieved.

There may be an issue with the Instagram Access Token that you are using. Your server might also be unable to connect to Instagram at this time.

Error: No posts found.

Make sure this account has posts available on instagram.com.