Atelier des Lumières celebra Van Gogh


O Atelier des Lumières, primeiro museu de arte digital de Paris, comemora seu segundo ano de instalação com a tão esperada exposição imersiva de obras de Van Gogh. Aliar arte à tecnologia proporciona uma redescoberta inovadora de grandes nomes da história da arte e permite reunir num lugar único obras-primas dispersadas em vários lugares do mundo.  Em 2018, com a exposição de lançamento que destacou o artista vienense Gustav Klimt, o Atelier des Lumières recebeu mais de um milhão de visitantes. Sucesso absoluto de público.

Van Gogh no Atelier des Lumières

 

A influência do Japão na obra de Van Gogh

Ė também em Paris que Van Gogh é influenciado pelas estampas japonesas que marcam defininitivamente suas obras. Para abordar esse fascínio de Van Gogh pelo japonismo, a exposição tem uma parte dedicada ao Japão, da icônica Onda de Hokusai (pintor e desenhista japonês) à beleza efêmera das cerejeiras em flor.

Cerejeiras do Japão na pbra de Van Gogh

Van Gogh, entre impressionismo e modernismo

Em Paris, Van Gogh descobre a arte moderna. Durante sua breve carreira de artista que durou dez anos apenas, o artista holandês experimenta sem cessar e extrapola os códigos da representação de paisagem, do retrato e da natureza morta. A exposição digital « Van Gogh, noite estrelada » aborda sua busca artística : de Nuenen, na Holanda, passando pela Provence e sua passagem por Paris, onde ele frequenta artistas impressionistas.

A exposição é animada por uma composição musical alternando música clássica, jazz e música pop, levando o visitante a ter uma real experiência sensorial e sonora.

Auvers-sur-Oise, última morada de Van Gogh

Igreja de Auvers-sur-Oise no museu d'Orsay

Em maio de 1890, Van Gogh deixa Saint-Rémy, na Provence e se instala em Auvers-sur-Oise, nos arredores de Paris, sob os cuidados do Dr Gachet, pintor, graveiro e colecionador. Nessa última etapa de sua vida Van Gogh produz de forma frenética, pintando praticamente um quadro por dia, durante os dois últimos meses de sua vida. O pintor morre aos 37 anos em razão de um tiro no próprio peito. Morte trágica por alguns historiadores considerada suicídio e por outros, mero acidente. A exposição traz uma imersão marcante para os apreciadores na incontestável obra do artista holandês e é certamente, uma das exposições mais procuradas da temporada, na capital francesa.

 

« Van Gogh, nuit étoilée » fica em cartaz até o dia 31 de dezembro de 2019, no Atelier des Lumières, perto da République, 38 rue Saint Maur 75011, Paris.

 

E MAIS … 
Para os apaixonados pela excepcional trajetória de Van Gogh, uma sempre emocionante visitar a cidadezinha de Auvers-sur-Oise, perto de Paris,  última morada do artista. Neste link.

 

COMPARTILHAR

POSTS RELACIONADOS

Moda em Paris: cultura e patrimônio

Expressão de uma época, de uma cultura, de uma identidade, a moda tem ganhado cada vez mais espaço em museus do mundo, e não poderia ser diferente na « capital da moda », que vive e respira esse universo fascinante e criativo, herança do « sistema da moda » inventado pelo rei Luís XIV, na…

LER MAIS
Leda por Gustave Moreau
Gustave Moreau : museu secreto e surpreendente em Paris

Origem do simbolismo O simbolismo surge no final do século XIX, reunindo pintores, escultores, escritores e músicos. Eles querem traduzir o irracional, seus desejos conscientes e inconscientes. Enquanto a revolução industrial promove a ciência, a matéria, o realismo e a razão, o simbolismo exalta o imaginário, os sonhos, os fenômenos sobrenaturais, o misticismo e as…

LER MAIS
Os segredos da Vênus de Milo
Louvre : os segredos da Vênus de Milo

Admirada, copiada, citada, subvertida, a Vênus de Milo tem fascinado o público, desde a sua entrada no Louvre em 1821. Célebre no mundo inteiro, a mulher sem braços é no entanto mal conhecida. Em primeiro lugar, deveria ser rebatizada e nomeada corretamente, com o seu nome grego, « Afrodite de Melos ». Contudo, por falta de atributo,…

LER MAIS
obra-prima de Tissot
O d’Orsay reabre com exposição de James Tissot

Reabertura dos museus de Paris Paris celebra a reabertura progressiva de seus museus após três meses fechados desde o início da Pandemia. O museu d’Orsay, dos mais frequentados, inclusive, pelos franceses, reabriu dia 23 de junho com uma retrospectiva do artista francês James Tissot (1836-1902), considerado um dos pioneiros da pintura moderna. Tissot e o…

LER MAIS

COMENTÁRIOS

instagram | @beminparis

This error message is only visible to WordPress admins

Error: No connected account.

Please go to the Instagram Feed settings page to connect an account.