Art Nouveau: Alphonse Mucha no Museu do Luxemburgo


O segundo semestre em Paris é quando as grandes exposições temporárias são lançadas e para mim, como Guia Conferencista, representa sempre uma oportunidade de conhecer melhor a obra de determinado artista através de obras excepcionais emprestadas de coleções privadas, como a exposição sobre o perίodo azul e rosa de Picasso que reune obras do artista espanhol, expostas em Paris pela primeira vez. Deixei alguns vίdeos nos Destaques dos Stories do Instagram @beminparis  sobre a exposição de Picasso no museu d’Orsay e falo dela aqui no Blog, nesse link.

Outro lado interessante  das exposições temporárias é descobrir artistas cuja obra é menos explorada, como é o caso do artista tcheco Mucha, um dos precursores do estilo Art Nouveau. A última exposição dedicada a Mucha em Paris, data ainda do final dos anos 1980. Para a sorte dos apaixonados pelo estilo Art Nouveau, como eu, o museu do Luxemburgo volta a celebrar a arte de Alphonse Mucha, em uma exposição apaixonante, que vai até o dia 27 de janeiro de 2019. Fui conferir a exposição Mucha logo nos primeiros dias do lançamento e fiquei impressionada com a riqueza de detalhes e beleza de seu traço.

Cartazes do artista Mucha

Alphonse Mucha, um artista tcheco em Paris

Alphonse Mucha artista tcheco

Alphonse Mucha chega em Paris, em 1887, então capital européia das artes, onde artistas e estudantes chegam de diversos paίses e se regrupam em comunidades. Mucha vai criar o « Lada » clube de estudantes eslavos, e mais tarde, integra a comunidade tcheca, a «Beseda».

Nos anos 1890, os cartazes são destaque na cultura visual, graças ao aperfeiçoamento da litografia colorida e ao desenvolvimento da publicidade. Paris torna-se uma verdadeira galeria a céu aberto. O artista tcheco alcança a celebridade criando cartazes e painéis publicitários que são verdadeiras obras de arte, acessίveis ao grande público. Os cartazes de Mucha passam a circular em toda Europa e o « estilo Mucha » torna-se sinônimo de Art Nouveau, estilo carregado em ornamentos, com motivos florais, vegetais, linhas arrendondadas e arabescos, que além das artes plásticas,  vai integrar mais tarde, a decoração e a arquitetura.

Mucha, um artista completo

Pintor, escultor, decorador, fotόgrafo, ilustrador e designer gráfico tcheco, como um dos principaos expoentes da Art Nouveau, Mucha cria um estilo prόprio, o « estilo Mucha », caracterizado por formas sinuosas misturando jovens mulheres, motivos florais e linhas ornamentais. A partir de 1895, Mucha alcança o ápice da celebridade criando cartazes para os espetáculos da artista Sarah Berhardt, uma das maiores atrizes francesas da época.

A artista francesa Sarah Berhardt

retrato de Sarah Berhardt, do acervo do Museu d’Orsay.

Henriette Rosine Bernhardt (Paris, 22 de outubro de 1844 — Paris, 26 de março de 1923), conhecida mundialmente por Sarah Bernhardt conquistou uma fama de atriz dramática, em papéis sérios, ganhando o títuto de “A Divina Sarah”. Considerada por alguns como “a mais famosa atriz da história”. Bernhardt fez sua reputação nos palcos da Europa na década de 1870, e logo passou a ser exigida pelos principais palcos do continente e dos Estados Unidos. Seu papel mais marcante foi o da peça A Dama das Camélias de Alexandre Dumas.

Sarah Bernhardt esteve no Brasil por quatro vezes e foi representada em dois filmes brasileiros, O Xangô de Baker Street e Amélia.

retrato de  Sarah Berhardt no Petit Palais Paris

retrato de Sarah Berhardt, do acervo do Petit Palais.

Mucha e os cartazes da Sarah Berhardt
Mucha na Exposição Universal de 1900

Artista de renome internacional, a imagem de Alphonse Mucha é indissociável da Paris de 1900, quando a França convida todos os paίses do mundo a virem apresentar obras de arte e suas invenções, na Exposição Universal de 1900. Pavilhões e salões extraordinários são criados para a ocasião e, Mucha participa ativamente desse grande evento desenhando inúmeros elementos de decoração.

Exposição Universal Paris

Publicidade na Paris do século XIX
Mucha Zodiaco
Mucha, o patriota

Nascido em pleno renascimento nacional tcheco, Mucha aspira a uma nação tcheca independente do Império Austrohúngaro. Em Ivančice, sua cidade natal, o talentoso adolescente defende desde cedo sua causa polίtica, ilustrando revistas satίricas e decorando auditόrios. Em 1910, Mucha retorna a sua terra natal e realiza o sonho de colocar sua arte à serviço de seu paίs e de seus compatriotas. Ele realiza um conjunto de vinte painéis monumentais narrando de forma cronolόgica, a histόria dos eslavos, do século III ao XX. A obra intitulada « A Epopéia Eslava » está exposta em Praga. Mucha morre em Praga, em julho de 1939, aos 79 anos.

 

A exposição Alphonse Mucha fica até o dia 27 de janeiro de 2019, no Museu do Luxemburgo

19, rue de Vaugirard, 750016 – Aberto todos os dias a partir das 10h30.

O Museu do Luxemburgo está localizado no Jardim do Luxemburgo e sό é aberto quando das exposições temporárias.

E MAIS…

Reveja o post sobre uma das exposições mais lindas já apresentadas no Museu do Luxemburgo. A trajetόria do impressionista Pissarro. Aqui.  

Falo no estilo Art Nouveau na arquitetura. Leia nesse link.

 

A BEM IN PARIS propõe passeios com roteiros personalizados planejados por Guias culturais formados na França. Os roteiros podem incluir visitas guiadas em museus e visitas de exposições temporárias. Informações e reservas pelo E-mail: contato@beminparis.com

COMPARTILHAR

POSTS RELACIONADOS

Exposiçao pintura pastel no Louvre
Louvre: a arte da pintura em pastel

O museu do Louvre reune pela primeira vez,  uma das mais excepcionais coleções de pastéis européus dos séculos XVII e XVIII. A coleção apresenta 120 pastéis, dentre eles, algumas obras-primas, como o Retrato da marquesa de Pompadour, pelo artista Maurice Quentin de La Tour.  A técnica da pintura em pastel, é utilizada desde o final…

LER MAIS
Balenciaga : exposição de moda no Museu Bourdelle

O Museu Bourdelle Escultor francês, Antoine Bourdelle (1861-1929) instalou seu atelier e residência numa rua tranquila do bairro de Montparnasse, a partir de 1885, lugar de moradia de predileção de artistas da época. Colaborador de Rodin, Bourdelle conduziu sua carreira inspirado no grande mestre da escultura e como Rodin, também quis transformar seu atelier em…

LER MAIS
Pissarro : pilar do impressionismo

Exposição “Pissarro à Éragny : La nature retrouvée” (Pissaro em Éragny : reencontro com a natureza) Até 9 de julho de 2017, no Museu do Luxemburgo. Neste último domingo, quem me acompanhou pelo Stories do Instagram @beminparis pôde ver parte da exposição Pissarro no Museu do Luxemburgo e de quebra, fazer um passeio guiado comigo entre o…

LER MAIS
Exposição do artista belga René Magritte no Pompidou

A exposição René Magritte « La trahison des images »  (a traição da imagens) começou em setembro e já é sucesso de público. A mostra promete ser uma das mais visitadas e comentadas da temporada. Como uma imagem pode ser enganosa – esse é o centro do debate do artista belga Magritte, considerado o  gênio do Surrealismo….

LER MAIS

COMENTÁRIOS

instagram | @beminparis